1 de jan de 2017

Ataque a uma discoteca e a uma mesquita: 2017 começa sangrento em Istambul




Euronews, 01 de janeiro de 2017. 



Por Francisco Marques



O ano de 2017 acaba de chegar e já está tragicamente manchado de sangue. Um ataque contra a Reina, uma das mais famosas e exclusivas discotecas de Istambul, na Turquia, pouco mais de uma hora após a passagem de ano, fez 39 mortos e 65 feridos, dos quais quatro em estado grave.


É o balanço do primeiro atentado terrorista de 2017, o primeiro ano de ano de António Guterres como Secretário-geral das Nações Unidas, cargo que o português assumiu de forma oficial exatamente à meia-noite em Nove Iorque, quase sete horas após o ataque em Istambul.




Um “apelo à Paz” foi a primeira mensagem de Guterres através da nova conta oficial em nome próprio criada pelo Secretário-geral da ONU na rede social Twitter.



Mas este primeiro ano à frente da ONU ameaça não ser nada fácil para António Guterres. O ano de 2016 fechou com um atentado terrorista em Berlim, na Alemanha (12 mortos/ 48 feridos) e 2017 abre com outro, em Istambul, na Turquia (39/ 65).

O ministro do Interior turco revelou, entretanto, que o processo de identificação das vítimas na discoteca Reina está a decorrer e 21 já tinham sido identificadas. “Pelo menos 16 dos mortos eram estrangeiros”, revelou Souleyman Soylu, sem revelar as nacionalidades envolvidas.

Sabe-se que esta discoteca em Istambul é muito frequentada por celebridades internacionais, incluindo futebolistas. O português Ricardo Quaresma, do Besiktas de Istambul, esteve em Portugal nos últimos dias de 2016 — assistiu no Dragão ao jogo entre o FC Porto e o Feirense — e ainda não se manifestou, como é habitual sempre que há casos deste género na Turquia.

Noutra equipa de futebol de Istambul, o Galatasaray, alinham os também portugueses Bruma e Josué.

Três jogadoras de basquetebol norte-americanas a alinhar na Liga turca estavam a celebrar a passagem de ano no local. Uma delas comunicou via Twitter, duas horas após o ataque, que estava “presa dentro do clube por causa de um tiroteio em Istambul” e cerca de três horas depois voltou a “tuitar”: “Estamos bem. Boa noite.”


O ministro turco do Interior revelou ainda que os indícios apontam para ter sido um ataque realizado apenas por um atirador isolado, um chamado “lobo solitário”.

O ataque aconteceu pelas 01h15 deste domingo, um de janeiro, ainda 22h15 da última noite de 2016 em Lisboa e ainda mais cedo, 17 horas, em Nova Iorque, na costa leste dos Estados Unidos.

O alvo foi a discoteca Reina, onde mais de 600 pessoas tinham passado a meia-noite e estavam a celebrar o novo ano. Um homem, alegadamente vestido de Pai Natal e a gritar palavras em árabe, entrou aos tiros no local, matando aparentemente de forma indiscriminada 39 pessoas e ferindo outras 65.




Incidente aconteceu horas depois do atentado que matou pelo menos 39 pessoas em discoteca daquela cidade turca.

Um homem abriu hoje fogo no interior de uma mesquita da zona norte de Istambul, na Turquia, tendo ferido, pelo menos, duas pessoas.

De acordo com informações do jornal Turkhaber, o homem atacou as pessoas que se encontravam a rezar na mesquita Hasan Pasha, atingindo-as pelas costas. Depois, colocou-se em fuga. O jornal Hurriyet avança, contudo, que o indivíduio disparou deliberadamente contra o pai, um dos feridos.

Este incidente aconteceu horas depois de um outro homem armado ter atacado o interior de uma discoteca de Istambul, tendo matado 39 pessoas e ferido 69.

Artigos recomendados: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário