30 de dez de 2016

Reaberto o processo de investigação contra a ex-presidente da Argentina Christina Kirchner, pelo encobrimento do Irã no atentado do centro judaico AMIA




JP, 29-30 de dezembro de 2016. 



Christina Fernandez Kirchner enfrentou várias acusações criminais desde que deixou o cargo há um ano. 

Um tribunal de apelações da Argentina reavivou nessa quinta-feira um caso de acusação contra a ex-presidente Christina Fernandez Kirchner, por tentar encobrir o alegado papel do Irã no atentado ao centro judaico de Buenos Aires em 1994. 

O promotor que primeiro apresentou a alegação, Alberto Nisman, morreu misteriosamente em janeiro de 2015, e um juiz mais tarde arquivou o caso por falta de provas. Mas essa decisão foi revogada na quinta-feira, reabrindo o processo de acusação contra Fernandez. 


A evidência não permite uma clara rejeição da possível comissão de atos ilícitos”, disse o centro oficial de informações judiciais CIJ do país em um comunicado. “As acusações devem ser pesadas antes da rejeição”. 

Os tribunais argentinos acusaram o Irã de patrocinar o ataque, que matou 85 pessoas no centro da comunidade judaica AMIA. 

Nisman foi encontrado em sua casa com um tiro na cabeça dias depois de acusar Fernandez de tentar descarrilar a investigação sobre o atentado como parte de um plano para tentar salvar um negócio sobre energia e comércio de grãos argentinos em troca petróleo iraniano.

Ela nega acusação chamando-a de absurda. 

A morte de Nisman foi inicialmente classificada como suicídio, mas um funcionário investigando o caso disse no início deste ano que as evidências apontavam para homicídio. 

O acusador estava há apenas algumas horas de uma aparição programada no Congresso para informar os legisladores sobre suas acusações contra Fernandez quando o seu corpo foi encontrado no chão de seu apartamento, e uma pistola de calibre 22 ao seu lado. 

O Irã negou repetidamente qualquer ligação com o atentado, e um juiz argentino em fevereiro de 2015 rejeitou as acusações de Nisman como infundadas. Um painel de revisão mais tarde concordou com uma votação de 2-1, que foram encontradas provas insuficientes para investigar formalmente Fernandez. 

Ela enfrentou várias acusações criminais desde que deixou o cargo há um ano. Ela foi indiciada nesta semana por acusações decorrentes de alegações de que ela e altos funcionários de sua administração gastaram dinheiro destinado a projetos de obras públicas.   

Vídeo arquivo

Artigos recomendados: 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...