5 de set de 2016

Cimeira do G20: Obama e Putin não chegam a acordo sobre a Síria




Euronews, 05 de setembro de 2016. 



Por Patrícia Tavares



Barack Obama e Vladimir Putin reuniram-se hoje à margem da cimeira do G20, na China, e não chegaram a acordo em relação à Síria.

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov, também já se tinham reunido para debater uma eventual diminuição dos combates em território sírio – mas também não houve qualquer entendimento.


Perspetivava-se um acordo relativo ao envio de ajuda humanitária à população e a uma eventual suspensão dos bombardeamentos, tanto por parte da Rússia como da Síria, mas o aguardado desfecho não se chegou a concretizar.

A via diplomática volta a falhar neste conflito que já fez, aproximadamente, 300 mil vítimas e milhões de refugiados.

As forças do Governo sírio cercaram zonas de Alepo, controladas pelos rebeldes, provocando assim violentos desenvolvimentos no terreno.

Este conflito na Síria teve início em 2011 e a cidade de Alepo tem sido uma das mais fustigadas.


Síria no G20: Via diplomática volta a falhar entre Obama e Putin


Os semblantes carregados de Barack Obama e Vladimir Putin revelaram a falta de entendimento relativamente à crise na Síria. Os dois líderes reuniram-se no segundo dia da cimeira do G20, após uma tentativa falhada de chegar a um acordo entre o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov.

“Tivemos algumas conversas produtivas sobre como seria uma verdadeira cessação das hostilidades. Algo que nos permitiria, tanto aos Estados Unidos como à Rússia, concentrar a atenção nos inimigos comuns, como o grupo terrorista Estado Islâmico e o Nusra, mas devido às faltas de confiança que existem, trata-se de uma negociação difícil, e ainda não colmatámos as lacunas de forma a que um acordo possa funcionar”, disse Barack Obama.


Perspetivava-se um acordo relativo ao envio de ajuda humanitária à população e a uma eventual suspensão dos bombardeamentos, tanto por parte da Rússia como da Síria, mas o aguardado desfecho não se chegou a concretizar.

Vladimir Putin acrescenta: “Eu espero que, se chegarmos a um acordo – e acredito que isso pode vir a acontecer nos próximos dias – vamos conseguir falar sobre uma melhoraria significativa e intensificar a nossa cooperação com os Estados Unidos na luta contra as organizações terroristas, incluindo aquelas que estão em atividade na Síria”.

A via diplomática volta a falhar neste conflito. Negociações difíceis entre Obama e Putin devido a faltas de confiança. Numa altura em que o Presidente dos Estados Unidos reforça que o objetivo comum deve ser a luta contra inimigos comuns – referindo-se ao grupo terrorista Estado Islâmico.


Artigos recomendados:



Nenhum comentário:

Postar um comentário