8 de set de 2016

A administração Obama admite ter pago ao Irã um total de $ 1,7 bilhões em dinheiro de um fundo pouco conhecido pelo contribuinte




MailOnline, 07 de setembro de 2016. 



A administração Obama admitiu ter pago US $ 1,7 bilhões ao Irã inteiramente em dinheiro para resolver uma década de negócios de armas abortados. 

Os pagamentos foram feitos em 22 de janeiro e 05 de fevereiro, disseram as autoridades, semanas após a liberação de quatro prisioneiros americanos detidos em Teerã. 

Funcionários admitiram anteriormente que foram enviados $ 400 milhões em paletes de euros, e francos suíços e outra moeda para o Irã em 17 de janeiro, o mesmo dia em que os prisioneiros foram libertados.    


Enquanto as autoridades administrativas negavam o dinheiro foi pago em resgate, e eles por fim admitiram que os prisioneiros dependiam do pagamento para serem libertados. 

Agora, fontes disseram à Associated Press que os restantes dos US $ 1,3 bilhões foram pagos em dinheiro também. 

O porta-voz do Departamento do Tesouro Dawn Selak atribuiu o pagamento incomum a eficácia das sanções dos Estados Unidos, dizendo que “isso significa que o Irã está completamente isolado do sistema bancário internacional.”. 

Mas os opositores dizem que o dinheiro poderia facilmente ser canalizado para organizações terroristas tal como o Hezbollah, que é conhecido por receber apoio do Irã.

A notícia surgiu após uma reunião a portas fechadas realizada pelos funcionários dos departamentos de Estado, Justiça e do Tesouro sobre os pagamentos, de acordo com um assessor de Capitol Hill familiarizado com a sessão. 

Os US $ 1,7 bilhões representam o dinheiro que a América devia a Teerã depois de um acordo de 1970 com as forças do governo do Xá que se desfez após a revolução. 

A América se recusou enviar $ 400 milhões em armas ao novo governo islâmico, mas reteve o dinheiro também. 

Os restantes dos US $ 1,3 bilhões são do interesse do Irã que tinha cobrado ao longo dos últimos 30 anos. [Sei!]. 

O dinheiro veio de um fundo pouco conhecido administrado pelo Departamento do Tesouro para a regularização dos litígios judiciais. 


O chamado fundo de julgamento é dinheiro do contribuinte que o Congresso tem permanentemente aprovado caso for necessário, permitindo que o presidente ignore a aprovação direta do Congresso para fazer um acordo. 

Os Estados Unidos já pagaram US $ 278 milhões em créditos iranianos usando o fundo em 1991. 

Na terça-feira, os republicanos anunciaram seu apoio à legislação que impediria os pagamentos do Fundo de Julgamento ao Irã até que Teerã pagasse quase US $ 55,6 bilhões que os tribunais norte-americanos julgaram ser necessários para as vítimas americanas do terrorismo iraniano. 

“O acordo nuclear desastroso do presidente Obama com o Irã foi adoçado com um pagamento de resgate ilícito e bilhões de dólares para nada mais nada menos que o maior estado patrocinador do terrorismo no mundo”, disse Marco Rubio, principal articulador do projeto de lei. 

Ed Royce, representante da Califórnia e presidente do Comitê de Relações Exteriores da Câmara, também introduziu um projeto de lei que proíbe pagamentos em dinheiro ao Irã e exige transparência nas liquidações futuras. 

“Tudo isso foi feito em segredo, escondido do povo americano e do Congresso”, disse Royce sobre um dos pagamentos em dinheiro ao Irã. 

Tanto a Câmara quanto o Senado estão planejando realizar audiências sobre os pagamentos. 



Artigos recomendados:


Editado às 20:28.

Nenhum comentário:

Postar um comentário