29 de ago de 2016

Suécia - nenhuma prisão após a morte do menino em Gotemburgo no ataque com granada

A cena no apartamento em Biskopsgården dois dias após o ataque



The Local SC, 29 de agosto de 2016. 



Atualizado: quase 200 pessoas prestaram homenagem no funeral do menino de oito anos de idade, morto em um ataque com granada em Gotemburgo. Mas a polícia disse ao The Local que eles ainda não fizeram prisões sobre o caso. 

Yuusuf Warsame foi morto quando uma granada de mão foi arremessada pela janela de um apartamento no subúrbio Biskopsgarden da cidade por volta das 03:00 na última segunda-feira de manhã. O menino, de Birmingham, foi visitar o apartamento com a sua família. 

A polícia disse que as imagens das câmeras de segurança na área não haviam gerado novas pistas. Além disso, o ataque ocorreu numa altura em que a maioria das pessoas estavam dormindo, tornando-se especialmente difícil encontrar testemunhas oculares em um distrito onde a polícia já tem dificuldades para obter testemunho das pessoas em casos relacionados com suspeitos de gangues.
As pessoas estão presumivelmente assustadas e chateadas”, disse o porta-voz da polícia Peter Aldersson ao The Local. 

Ele acrescentou que a polícia estava continuando o trabalho duro sobre o caso, mas que não foi obtida quaisquer informações das pessoas para que isso possa levar a possível prisão daqueles envolvidos. 

O pai do menino Abdiwahid Warsame, disse que o garoto de oito anos de idade estava dormindo quando a granada detonou, antes de morrer nos braços de sua mãe. 

Quando ouvi a notícia eu tive que sentar, eu não conseguia mais ficar de pé. O coração de minha esposa estava despedaçado”, disse ele ao Birmingham Mail

Ela tentou ajudar, ela o pegou e colocou em seu peito, mas ele estava morto.”. 

Dois dos irmãos do garoto estavam dormindo no mesmo quarto, mas não foram seriamente feridos no ataque, disse o pai. 

Um parente disse ao jornal local Goteborgs-Posten que a família havia decidido ter o enterro na Suécia, devido aos custos emocionais e financeiros de trazer o corpo do menino de volta ao Reino Unido. 

Quase 200 pessoas participaram do funeral em Gotemburgo na segunda-feira para prestar suas homenagens ao menino. 

Yussuf Warsame tinha chegado na cidade com sua mãe em 13 de agosto, dois dias antes de seu oitavo aniversário. 

Seus pais são cidadãos holandeses de origem somali e são residentes na segunda maior cidade do Reino Unido, onde Abdiwahid Warsame é dono de uma loja. 

Havia pelo menos cinco crianças e vários adultos no apartamento no momento da explosão, que receberam várias lesões menores. 

A polícia está trabalhando com a teoria de que o ataque a granada poderia estar ligado ao tiroteio em um restaurante em outra parte do Biskopsgarden em 2015, quando dois homens foram mortos e oito ficaram feridos em um tiroteio entre gangues [muçulmanas]. 

Um dos homens condenados durante o ataque fatal era do mesmo endereço em que ocorreu a explosão de granada. 

O especialista em crime organizado Amir Rostami disse ao The Local na semana passada que a violência entre gangues em Gotemburgo tinha “aumentado na medida em que as pessoas envolvidas em conflitos nem sabiam do que se tratava.”

Residentes na área reagiram com choque pela morte. 

Eu tenho medo de que fique cada vez pior. Eu acho que os conflitos de gangues [muçulmanas] estão aumentando”, disse Jorgen Fredriksson, que viveu na região há mais de 40 anos.  


Postagem relacionada:

Suécia - Explosão de granada mata criança de 8 anos em Gotemburgo: diversidade de arsenal muçulmano

Nenhum comentário:

Postar um comentário