14 de ago de 2016

Alemanha - manifestantes curdos ocupam estúdio de transmissão pública

Um estúdio de WDR, em Düsseldorf



The Local De, 12 de agosto de 2016. 



Um grupo de 30 pessoas curdas fizeram quase umas duas horas de duração de manifestação ocupando uma estação de radiodifusão pública em Dusseldorf. 

O grupo entrou nos estúdios da Alemanha Ocidental Brodcasting (WDR) em Dusseldorf na quinta-feira à noite e ocupou a estação, a polícia relatou. 

Os manifestantes trouxeram cartazes, gritavam palavras de ordem curdas e estavam tentando chamar a atenção para a situação política na Turquia, segundo a polícia. 

Autoridades disseram que, em geral a manifestação foi pacífica e os ativistas voluntariamente deixaram o prédio depois que um membro da equipe pediu-lhes. Ninguém ficou ferido. 

O governo turco tem sido criticado internacionalmente por sua repressão em áreas curdas do sudeste em resposta aos ataques mortais pelo grupo militante curdo PKK, após a quebra de um cessar-fogo no ano passado. 




Um grupo de deputados alemães em junho abriu um processo de crimes de guerra contra o presidente Recep Tayyip Erdogan por seu tratamento desumano com a minoria curda. [Ênfase minha]. O processo tem como alvo particular um incidente na cidade de Cizre na província de Sirnak, onde ONGs dizem que cerca de 178 civis foram mortos em fevereiro, tendo o sido colocados em abrigos e porões, cujos corpos mais tarde foram encontrados incinerados, possivelmente tendo as vítimas sido queimadas vivas. 

O Departamento Federal de Migração e Refugiados (BAMF) disse na semana passada ao The Local que tem havido um aumento no número de curdos pedindo asilo na Alemanha: mais curdos solicitaram estatuto de asilo somente nos primeiros seis meses deste ano do que em todo o ano de 2015. 

O escritório não tinha números para quantos havia aplicado desde o golpe fracassado em julho – uma vez que Erdogan promulgou detenções em massa de seus oponentes suspeitos no rescaldo. Mas agora a comunidade curda da Alemanha diz que poderia haver uma onda em massa de requerentes de asilo curdos por causa dos eventos desde a tentativa de golpe.

“É esperado que, no curto prazo, haja 10.000, e em médio prazo cerca de 100.000 pessoas da Turquia em busca de asilo na Alemanha se o regime de Erdogan continuar a lutar contra as minorias da oposição democrática”, diz o líder comunitário curdo Ali Toprak ao Die Welt.

Toprak disse que dentro da Turquia, cerca de 500.000 curdas já estão fugindo de suas casas por causa das ações do governo turco no sudeste. 

“Muitos vão querer começar de novo na Europa, se eles continuarem oprimidos na Turquia. Isso não pode acontecer, um país que recebe refugiados agora passar a produzi-los”. [Ênfases minha].

Die Welt salienta que, mesmo antes do golpe fracassado, as pessoas na Turquia tinham razão para pedir asilo na Alemanha: entre 1986 a 2011, a Turquia foi o principal país de origem dos requerentes de asilo na Bundesrepublik


Nenhum comentário:

Postar um comentário