27 de jul de 2016

O governo turco detém o ex-governador de Istambul e acadêmicos após a tentativa fracassada de golpe

Ex-governador Hüseyin Avni Mutlu




Hurriyet, 26 de julho de 2016. 




A Turquia deteve dezenas de “suspeitos”, incluindo um ex-governador de Istambul, e uma jornalista bem conhecida, assim como altos funcionários militares, conforme prossegue a repressão do governo contra a denominada organização terrorista Fetuallista (Feto), que é acusada de orquestrar a fracassada tentativa de golpe em 15 de julho. 

O ex-governador de Istambul Huseyin Avni Mutlu foi detido em Istambul em 26 julho por supostas ligações com o movimento Gulenista. 

Mutlu foi governador de Istambul durante os protestos que ocorreram em todo o país e em Gezi Park em 2013. Ele foi uma das 246 autoridades locais que foram suspensas das suas funções pelo Ministério do Interior, no rescaldo da tentativa de golpe. 

O ministério suspendeu um total de 8.777 funcionários em serviço desde a falha tentativa de golpe. 

A jornalista e ex-parlamentar Nazli Ilicak, que estava entre as 42 pessoas que receberam mandado de detenção como parte das operações de repressão do pós-golpe, também foi detida em 26 de julho na turística cidade de Bodrum na província de Mugla Egeu. 

Ela foi encontrada em um veículo no cruzamento da Bodrum-Torba, então foi levada para a delegacia central de Bodrum, antes de ser enviada para Istambul, para outros procedimentos legais. 

Outros cinco jornalistas – Yakup Sagrlam, Ibrahim Balta, Seyit Kilic, Bayram Kaya e Cihan Acar – também foram detidos nas operações.

Ilicak estava entre 42 jornalistas que estavam sendo procuradas como parte das investigações em curso contra supostos membros do Feto (Fethullah Gulen). Os mandados de prisão foram emitidos pelo procurador-geral do Escritório de ‘Combate’ ao Terrorismo e o Crime Organizado. 

Enquanto isso, operações simultâneas foram organizadas nas universidades em oito províncias turcas, com a polícia detendo um total de 188 pessoas e outras 54 sendo suspensas de suas funções. 

Cerca de 19 acadêmicos foram detidos em uma operação na Universidade de Cukurova no sul da província de Adana, incluindo o reitor da Universidade de Kanuni, o Professor Osman Serindag. 

Onze acadêmicos foram suspensos de seus serviços na Universidade de Agri Ibrahim Çeçen, enquanto isso uma investigação foi lançada sobre nove acadêmicos e três funcionários administrativos em uma universidade local em Balikesir, pelo suposto envolvimento no golpe [ênfase minha]. 

Cerca de 44 acadêmicos foram detidos na Universidade Dicle, na província sudeste de Diyarbakir, enquanto outros 12 estão sendo procurados com mandados de prisão. 

Cerca de 59 funcionários da universidade, incluindo 43 acadêmicos, foram suspensos do serviço em Duzce, enquanto 30 funcionários, incluindo 22 acadêmicos foram suspensos na Universidade de Ataturk em Erzurum. 

O ex-reitor da Universidade de Manisa Celal Bayar, o Professor Mehmet Pakdemirli, também foi detido, além de 19 outros acadêmicos da universidade. 

E finalmente, 46 acadêmicos foram detidos na Universidade Namik Kemal em Tekirdag. 

Enquanto isso, dois soldados turcos de alta patente em serviço no Afeganistão foram detidos no Aeroporto de Dubai em 26 de julho. 

O Major comandante da Força Tarefa, Chait Bakir e o seu companheiro da Assessoria e treinamento em Kabul, o comandante brigadeiro-general Sener Topuç foram detidos em Dubai como resultado da decisão do Ministério das Relações Exteriores turcas em cooperação com a Agência Nacional de Inteligência (MIT) e funcionários – assim como autoridades dos Emirados. 

Bakir e Topçu foram trazidos para a Turquia em 26 de julho por conta de outros processos legais [sei!]. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário